Blog do Felipe Borba

Inteligência Emocional: O Diferencial do Sucesso Profissional!

A inteligência emocional já deixou de ser secundária na hora da seleção de um cargo, por exemplo. Hoje ela já passou a ter maior prioridade na hora da contratação do que o próprio conhecimento intelectual. A gente explica o por que!

Inteligência emocional

A vez da inteligência emocional

Antigamente quem tinha uma qualificação acadêmica possuía um diferencial e uma colocação privilegiada no mercado. Hoje, a facilidade em encontrar profissionais qualificados tecnicamente, com diplomas de graduação, pós graduação e até mestrado é grande, por isso, esse deixou de ser um diferencial.

Com o passar dos anos e diversos estudos realizados sobre o tema, pode-se concluir que pessoas com maior qualificação intelectual não eram obrigatoriamente bem sucedidas profissionalmente. Enquanto as pessoas que sabiam lidar melhor com as situações e aproveitar melhor as oportunidades passaram a ter maior espaço no mercado.

Pessoas que estão sempre na defensiva, reagem mal às pressões e não conseguem lidar com adversidades, por maior conhecimento técnico e científico que tenham tendem a não se manter em cargos. Já pessoas que possuem inteligência emocional, mesmo tendo menor conhecimento técnico ou intelectual em relação aos concorrentes, têm maiores chances de serem selecionadas em vagas de emprego, manter-se mais em seus cargos e terem melhores promoções dentro da empresa.

Ainda, para que fique claro, inteligência emocional compreende a capacidade de gerir seu tempo, liderar, ter boa comunicação, ter foco, bom relacionamento interpessoal e autocontrole e gestão das emoções.

QI também é importante

Quero deixar claro aqui que o Quociente Intelectual também é importante e você deve estudar e se especializar na sua área. Ele sempre será de fundamental importância já que é o que nos torna capazes de exercer a função a qual nos propomos.

Porém, cada vez mais é o Quociente Emocional que tem sido determinante para a conquista de um emprego e a manutenção do mesmo. O desenvolvimento dessas competências emocionais é que trará sustentabilidade pessoal e excelência em nosso trabalho.

inteligencia-emocional

Comprovado por pesquisa

Essa semana saiu no O Globo uma pesquisa da IMC Consultoria Empresarial, com exclusividade para o Boa Chance, que confirmou que para a maioria dos profissionais de RH a inteligência emocional é imprescindível. Segundo a pesquisa, que ouviu profissionais de RH de 68 empresas, 75% deles afirmaram que a inteligência emocional conta mais do que a técnica na hora de conseguir uma vaga ou ser promovido.

A pesquisa mostrou ainda que para 19% dos especialistas a inteligência emocional é tão essencial quanto a intelectual. Porém, apenas 6% deles acreditam que o conhecimento científico ainda é mais importante do que o conhecimento emocional.

Outras tantas pesquisas internacionais mostram que apenas 15% das pessoas fracassam por falta de habilidade técnica, os outros 85% fracassam por falta de habilidade comportamental.

Como obter inteligência emocional

A boa notícia é que quociente emocional pode ser adquirido e aprimorado, assim como o intelectual. Adquirindo essa inteligência emocional você conseguirá lidar melhor com diferentes situações, com as adversidades, se relacionar melhor com as pessoas, e, consequentemente, conseguirá exercer melhor seu conhecimento técnico.
Algumas pessoas conseguem adquirir esse Quociente Emocional sozinhos, outros precisam de um tutor para aprender e aprimorar seu QE. O importante é que você busque por essa melhoria e possa usar dela para se colocar melhor no mercado, independente da área e cargo ao qual ocupe.

 

Uma das formas de impulsionar sua inteligência emocional é blindar-se dos sentimentos negativos. A gente ensina como aqui.

Gostou dessa matéria