Blog do Felipe Borba

O Poder do Perdão

O perdão trata-se de um efeito neurofisiológico poderoso e que pode alavancar grandes conquistas na sua vida.

o poder do perdão

Perdoar gera um fenômeno neural impressionante no nosso organismo.

Quando sofremos o mal de alguém, muitas vezes, nos vemos verdadeiramente aprisionados por um sentimento de mágoa e tristeza devido aquilo que nos fizeram. Esses sentimentos tóxicos acabam por “melar” nossas boas energias e nossa força de vontade de seguir e toda vez que lembramos do que nos fizeram ficamos mais tristes e desanimados, perdendo mais energia e oportunidades importantes na nossa vida. Isso se torna um perigoso ciclo que pode levar qualquer um a estados emocionais perigosos e até doentio.

Não perdoar é tomar uma gota de veneno todo dia achando que a outra pessoa é que vai morrer. A neurociência mostra que ao pensarmos constantemente nas decepções e mágoas, desregulamos a produção de cortisol, um importante hormônio que quando descontrolado pode gerar fadiga, estresse, baixa imunidade e grave risco de depressão. Além disso, estes estados emocionais de tristeza deprimem também a liberação de um outro hormônio chamado de serotonina, um importante hormônio ligado dentre outros, ao humor e a felicidade.

Mas o que o perdão faz?

O PERDÃO quebra esse ciclo ruim e gera sentimentos positivos que passam a estimular o aumento de serotonina no organismo. A partir da sua produção vem uma onda cerebral chamada Núcleo da Rafe. Isso passa a gerar mais sentimentos de felicidade, que alavanca a vida de quem pratica o perdão.

Para que o perdão seja efetivo ele tem que ser feito de forma neurologicamente correta, com persistência e foco no sentir, fixando essa ideia até que ela se torne um gesto comum, um hábito, fortalecendo as novas sinapses criadas, consolidando assim no córtex, uma onda cerebral que irá construir memória e condicionamento, fazendo com que o sujeito mude sua forma de agir em outras situações que ocorrem ofensas e mágoas.

 

Agora, conheça os benefícios da Gratidão aqui!

Gostou dessa matéria